quarta-feira, 17 de abril de 2013

pra te ver

quem sofre...
quem sofre de alegria irradiante,
eu pensava em dizer.
e meditei na conjugação do sofrer alegre,
sofre quem é alegre.
eu me alegro em pensamento:
 a alegria e a sofridez são
espaços de compreensão.
eu estou triste, eu estou alegre,
de fato, não causam a mesma impressão
no mundo. porém elas abarcam
uma dimensão desse estar no mundo.

se você sofre pra ficar alegre me parece até bom,
em julgamento. se você alegra pra ficar
triste, ai coloco uma interrogação. mas sera
que o ciclo disso tem um começo num
estado ou no outro, ou são aspectos particulares
de um possivel vir a ser?

então, yin e yang estão ai mesmo
dando uma clara demonstração.
e dando vaga para dualidade
tonificar nossa concepção.
é uma marca forte...

existe também um sofrimento alegre, ou
uma alegria triste, ou uma tristezinha
alegrona, ou uma alegria tristona e por ai vai.
num falo de sofrer em des-amor, ai é so triste mesmo.
alegria soa diferente,
é independente, anda sozinha,
é ouvido plexo, estalo
de olho, estouro de boca, e tem duração.

tristeza também, mas é outra combinação.
mas é quântico tudo isso, estão unidos,
tem tendências a existirem sozinhos
ou acompanhados, mas estão sempre latentes.

ai, penso em você e sinto as duas coisas juntinhas...
é bonito em demasia essa partilha dos polos em atuação.