sábado, 2 de janeiro de 2010

pois então... vamos


o viajante universal,
com calma chega ao leito,
o descanso é de muito tempo
pois as lembranças são de muitos espaços,
ao mesmo tempo.
cada passo é uma respiração,
aspira-se à juventude a cada dia do crescimento
de um fruto.
bato à porta do recolhimento e abro as asas
para o novo, renovando camadas e julgamentos.
se não vens, nós vamos... à vida.