domingo, 4 de outubro de 2009

sinceramente


são pétalas que caíram.
ficou o talo talhando uma
um novo formato.

no meio daquela floresta
já tão tateada e ateada,
percebe-se o inusitado.
percebido, ele sempre vem disfarçado de conhecido.

bom dia, como se estivesse dizendo
pra vendedora do pãozinho fresco
que conheço há anos. o pão e a vendedora.

mas não é desse inusitado repetido.
é do inusitado que vai-se permeando
e quando dá-se já é coisa viva,
mas sem definição.

é nessa porção de mata
que adentro. com cautela
e euforia. tesão e proteção.
o caule criando energias
e instalando seus artifícios
para cultivar essa nova
velha família dentro do coração.

eu não disse que não iria.
eu só sinto que vou devagar.
e não é arriscado.
é o antigo que estava esquecido até então.


miles davis tocando.
os champingons na manteiga, é bom.
je t'attends.