sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

ao ano

QUANTO TEMPO CABE NESTE INSTANTE PASSAGEM?
quanto pensamento cabe nessa idéia?
quanto tanto tento intento e sambo
e desequilibro e
emotivo emociono
o peito dentro do peito dentro
de dentro e a
repetição
de star estrela
apaga
estiro a corda
fico na ponta do pé
e olho o novo do outro lado
de que lado?
volto. espero. atento.
novas paisagens...
um corpo novo dentro do corpo
que usa
sem país sem língua.

vou criar minha pátria de sentidos
e deslizar na canção do (não-sei-o-que-me-pergunta-sempre)
na geografia do aqui-amanhã
no picadeiro de estar entre,
mais platéia... mais palhaço.
mais faro,
mais claro,
mais torto,
tonturas.

não entendi a piada.
confissão: não sei escrever.
e deixo as palavras-malabaristas
fazerem o show!
palmas. e que venha,
pois ainda vejo nada...
e ainda cabe tanto.


momento de cabência.
vou fazer um pedido.
atravessar.

o tempo o instante a paisagem.
sobre pés mais presentes,
e dedos mais ágeis
e olhos mais sinceros
e coração mais silencioso
onde tudo de nada
cresça
e

nos encotraremos lá.
enquanto existir.
enquanto tiver vontade.