terça-feira, 21 de julho de 2009

estava ensaiando para a leveza.
e para encontrar atrás da leveza essa deusa
da beleza. e, você não sabe... vou contar.



- a vida me esperou. às vezes a vida nos espera. em algum lugar,
na esquina de uma rua, conhecida e desconhecida ao mesmo tempo.

tive a sensação discreta e suave de que a vida é uma companheira.
e não é só companhia. eu e a vida somos acompanháveis. e a gente se escolhe.

- a rua passa e eu fico, escutando a rua que passa. o martelo no vizinho.
será então que a vida é do sentir e não do sentimento?

eu vou ali e já volto.