domingo, 30 de novembro de 2008

dimanche

no corpo ébrio
cabem odores
insensíveis.

e a primeira neve
à luz do poste
traz a completude
do absurdo e o
sentido virginal
do riso.

e quando
a manhã é azul,
tudo que urgita
é pensar.