quarta-feira, 20 de agosto de 2008

aguento o peso da fumaça de ônibus
escuto a música dos motores enfurecidos
mas não sustento essa capa dura desse livro
não escrito dentro de mim.
é uma espécie rara de livro-trilho,
trilha de cinema.
e dentro dele tem um almanaque
com informações de um século inventado
que se passou num quarto de um castelo de papel.
a vela apagou, é uma pena.
isso foi escrito arduamente à pena,
no bico de uma revoluç
ão sentimental.

são tantas. e o ruído passa.
árduo.