quinta-feira, 20 de março de 2008

viagem

em quadros
paisagem tão verde,
verde de chorar.
e a terra da cor que eu queria me pintar.
hoje entendi a perfeição à velocidade:
era brasileiro e era produto para exportação
era uma paisagem aérea de tão etérea.
eu amo tanto. a paisagem ama também.
estou escrevendo tolices,
reflexo do meu estado de pré-essência.
eu queria mostrar pra alguém,
mas o que eu vi não era de se ver,
era de fazer mistura no olhar,
era um prato típico da doçura de olhar.
verde-de-chorar, azul-sonho e rosa-terra.
eu deveria mostrar,
mas não posso,
nunca poderei,
é um segredo...
na volta eu passo lá.