terça-feira, 28 de outubro de 2008

o dia








lagrimez;


florflueija;


brimarulho;


miralínjia;


vertilúnio.

uma carta avantgarde/ contredanse

o inverno chegou! hoje especificamente senti sua presença.
aquele céu cinza de paris. chuva, pendant toute la journée.
c'est dificile, c'est vrai. o frio desperta. engraçado.
o frio desperta e dá uma sonolência. ele desperta pruma
certa hibernação de vontades e movências.
puxa, o inverno é dificil pra mim...
vamos lá. eu aguento.
escrtevo pra dar notícias.
que caminho bem. que me encontro bem na cidade.
que ela não me estranha mais tanto.
estamos ficando amigas.
mas é desconfiada ela, e eu também.
ela é imponente. mas é tão pequena.
cidade contraditória essa.
fizemos festinha aqui no sábado.
legal, mas a ressaca foi foda.
es-tou caseira. estou sonhando.
estou silenciosa. mas putz dá uma vontade de falar, não??
lembro de você com isso.
de falar com alguém que é muito alguém.
às vezes a vontade persiste e nem sabemos com
quem ao certo queremos falar. mas alguém especial.
estou entrando na vida acadêmica. isso me assusta um pouco.
mas sei que estarei compromettida por um bom tempo.
e sozinha também. vou eu voltar pro trabalho solitário.
é bom né? produzo bem sozinha.
estou gostando desse novo silêncio.
estou me vendo diferente.
é bom.
vou nadar.
já comprei maiô e tudo.
tem uma piscina aqui perto de casa.
aqui no meu bairro é legal.
tem gangues à noite.
tem tudo perto. cinema, teatro.
é bom...
vejo o mar. vejo sempre o mar
e o horizonte com sol.
e gosto de andar pela cidade à noite.
o silêncio aqui à noite é incrível.
e vc? como vão os projetos?
como tá o Rio sem Gabeira?
sem eira nem beira?
vc também?
aaaaa.
dê notícias.
viva a música brasileira!

um beijo
Lu

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

encontro de acontecimentos


(ofegante)




desceu correndo aquela avenida para telefonar e contar o que tinha acontecido. mas pra quem ela ia ligar mesmo? era tudo tão grande e tão pequeno tudo que acontecia era minúsculo mas importava tanto. era um tempo. uma sensaçào diferente do tempo, a percepção desta sensação. era isso o que ela queria falar. a intuição que corre e desperta vontades calmas. era isso também. mas na hora de falar, ela engasgou, soluçou e riu muito. olha, não tem pressa. a respiração distrai meus pensamentos... estou suando. este casaco aperta meu pescoço. (barulho de sirene, sempre) tá tudo bem, tá, sim, fiz, eu lembro, é... con-cordas. nota um dois três. acordes. aí acordei. desliguei o telefone. e não tinha ligado pra ninguém. uma vontade falar, mas não assim como a gente conhece. de falar com outras coisas, com outros movimentos. (o sol tocou meu rosto, falei,...) olha, reparei que as pessoas aqui falam muito, e falam pouco. mas não se pode atrapalhar uma boa conversa. excusez-moi... eu quero uma informaçào. que saco... (riso calmo, canto uma música) vou ligar de novo. não tenho crédito. meu saldo é insuficiente. que plano é esse? eu tenho um plano, mas não sei qual é ainda. todo dia ele se organiza um pouquinho. eu ligo pra contar.

domingo, 19 de outubro de 2008

seun kuti/ fela lives



show do seun kuti
no festival de marne
outubro em paris.
alucinante!!!
conseguimos registrar alguma coisa com
a câmera do celular da monna.


Oluseun Anikulapo Kuti (commonly known as Seun Kuti) is a Nigerian musician, and the youngest son of legendary Afrobeat pioneer Fela Kuti. Seun leads his father's former band Egypt 80. Seun first played with Egypt 80 when he was only 8 years old. He is born in 1982. Plays the saxophone and do the vocals too.
(bom, eu e ele temos a mesma idade!!)

quem se interessar, dê uma olhada no myspace:
www.myspace.com/seunkuti


aquele abraço...

sábado, 18 de outubro de 2008

playtime



o tempo e o pensamento.
o tempo do real.
tenho pensado...
será que existe algum tempo inventado?
do que se trata uma invenção?
vendo ao playtime, de jacques tati.
e toda a estrutura coreográfica,
é possível pensar numa construção de tempo
dentro do espaço.
será que um depende do outro?
intervalo que ocupa posição não determinada.
será isso o tempo real?
posições num espaço
acumulando intervalos
e encontros.
será o tempo um acidente?
tenho essa proposta de discursar sobre isto.
ainda não clarezas.
mas acho que nào é um assunto de clarezas.
fiz esse filme acima e ele me trouxe de novo esta questão.
a coreografia-
ações coordenadas no tempo e no espaço-
é sistêmica,
de fora pra dentro e vice-versa.
o tempo veste camadas?
quais são seus elementos?
o olho, a imagem e o pensamento
cada qual seu tempo.
o tempo tem formas de presenças?

terça-feira, 14 de outubro de 2008

exercícios para manoelizar o mundo


eu vi uma oração de borboletas.
elas ventam pensamento em mim.
as borboletas asam aleluias.




a teia tece uma aranha.
e vai tecendo
tecendo tecendo
tecendo...
até ser.