quarta-feira, 26 de setembro de 2007

me agora

agora mesmo. é agora inchado de tanto ontem.
um agora inchado de amor, de saudação. de respiração
silenciosa. de lágrimas cravadas no solo de um oceano.
agora abissal.
abrir a boca sem saliva, um gosto de infância
um eco de outro país, das illhas.
de um continente sem contornos.
me mapa, me água, me abraça
pra ver se eu desaguo.
as perdas nos desenganam,
as janelas mostram horizontes tão longes.
me fonte. me come. mim são. mim vácuo.
explosão.