terça-feira, 7 de agosto de 2007

às outras horas

eterna conquista de viver:
momentos espelhos
da sabedoria nostálgica
de conhecer o senso primitivo
do ser, de viver.

mirar os olhos do mundo
com corpo, pele, tudo.
resgatar minha vida metálica, sólida
na certeza de ter alguma certeza
para o meu corpo desnudo.

estes processos cristalizados
se pedrificam no interior
dessa camada fina do toque
e da estética humana.

sou hoje e ontem,
não quero estar amanhã.
quero me prender nos fragmentos
- espelhos -
que não podem se ligar à lógica
mas não podem perder a essência
e a persistência de re-existir.