domingo, 5 de agosto de 2007

a cidade também é um deserto.
o oásis em mim...

marca

o vazio entre eu e eu mesmo.
talvez seja o mesmo.
não há certeza.
há uma inteligência que ativa as sensações e definições.
definição de estar dançando no espaço
esperando um abraço do mundo mesmo ele
não sendo território marcado.
marcada estou eu: de ruas, sinais, avenidas.
tráfego de conflitos estudando suas medidas e eu: sendo eu mesma?
talvez seja o "a". com estas alças em cima pra dar suspensão.
ah, ela é mulher, por isso é tão sensível.
a inteligência do sensível me reforça a in timidade
de ser eu num mundo de não-eus.
agradeço quando olho pro outro e vejo -eu-
assim com hastes do lado pra não me deixar escorrer
para os lados e mostrar a natureza de tudo:
tudo é natureza, mesmo que doa!
eu queria ter dito:
"luta pacífica,calma turbulenta"

mas eu vou dizer:
"a liberdade é um segredo"
...mas isso quem disse foi a clarice.
estou dizendo de novo...

mas aí, eu disse:
"liberte o amor de seus símbolos domados".

me deixar

perto do coração selvagem....
me dá um copo de água.
me deixa respirar....
pode esperar 5 minutos,eu não posso falar.
tenho uma potencia preciso correr
não fugir
correr
me dá agua....
me deixa amar o selvagem
me deixa ter coragem
pra ver além dos olhos
além das formas
força e sensação
sedução feroz
que me faz transgredir,e também aceitar.

luar

lua lagoa
desagua em pontos
partilha de bens
nu encontro
ao acaso