quarta-feira, 18 de abril de 2007

desejo de livro

quero ser um livro escrito, não posso ser só pensado. um livro-eu seria como uma paquera sem entrega, uma loucura disfarçada, uma criança querendo ser adulta, um silêncio em revoada. Cruzes. um encontro de encruzilhadas seria eu-livro. Seria o inferno encantado, a entrega sem desejo, muito maior que qualquer descoberta. Seria aberto, meu livro, em todas as páginas ao mesmo tempo. o livro seria tudo isso disfarçado nas entrelinhas de uma história com linhas, famílias, vigílias, vírgulas. tão certo quanto o incerto. tão real quanto o medo.